• 48 3224.2224
  • tortola@tortola.com.br
  • Câmbio Tortola em 21/08/2019:   4,17
  •  / 
  • 4,66

DICAS DE VIAGEM

Muito cuidado, sempre antes de viajar, tire uma cópia completa do passaporte e deixe-a guardada em lugar seguro (cuidado para não coloca-lo em um lugar onde somente você pode achar. Caso você perca o passaporte durante a viagem, procure um posto policial e registre a ocorrência (perda ou roubo). Depois vá ao consulado e explique o que aconteceu. Fique calmo, pois como um passaporte tem um bom valor no mercado paralelo, você vai ter que responder a um interrogatório. Para receber o novo documento ainda em viagem serão necessários os seguintes documentos: boletim de ocorrência de perda ou roubo, o CPF, a carteira de identidade e o titulo de eleitor. O novo passaporte sai, em geral, fica pronto em cincos dias. Sem esses documentos você não poderá cruzar a fronteira e terá de voltar para casa com um salvo-conduto. Concluindo que é melhor tirar cópia de todos os documentos se possível autenticadas.
Viagens no Brasil O RG (cédula de identidade) é necessário para viagens aéreas em território brasileiro. Além do RG, o Ministério da Aeronáutica também aceita outros documentos de identificação oficiais equivalentes à cédula de identidade. Viagens para países do Cone Sul O RG é válido para ingresso na Argentina, Chile, Paraguai e Uruguai, mas quem quiser comprar no free shop dos aeroportos destes países deverá apresentar o passaporte. Viagens para outros países da América do Sul O passaporte é documento obrigatório para viagens aos países da América do Sul, com exceção da Argentina, Chile, Paraguai e Uruguai. Somente a Guiana exige visto para brasileiros. Apenas em viagens para o Peru é obrigatória a vacina contra febre amarela. Para viajar para fora do País é necessário ter passaporte, que é emitido nos postos da Polícia Federal ou nos Correios. Para tirar o documento deve-se apresentar duas fotos 5x7 datadas, mais RG, CPF, título de eleitor e certificado de reservista (homens), além de preencher um formulário e pagar uma taxa. Com o passaporte, não é necessário levar os outros documentos na viagem. O melhor é deixá-los em casa. A Carteira de Identidade só é válida para entrar em países vizinhos, como Argentina e Chile, lugares que não precisam de passaporte. As crianças também necessitam de passaporte. Para tirá-lo, porém, além das fotos, do formulário preenchido e do comprovante de taxa paga, têm de ser apresentadas a Certidão de Nascimento e a cópia da Carteira de Identidade dos pais. Além disso, os menores de 18 anos também precisam de autorização dos pais para viajar, mesmo que estejam acompanhados de um deles ou de parentes próximos. O documento, que vale por 60 dias, precisa ter firma reconhecida em cartório e as seguintes informações: nome da criança e número de sua Identidade, destino e nome dos pais ou responsáveis durante a viagem. Visto Alguns países exigem vistos de entrada, portanto, antes de marcar a viagem é importante verificar no consulado do país de destino se há essa exigência, bem como os documentos necessários e os prazos. "Para entrar em certos países, também é necessário vacinação contra algumas doenças", lembra Maria Inês Dolci, do Idec. Caso viaje para outro país e resolva alugar um carro, o consumidor precisa providenciar, aqui no Brasil e com antecedência, a Carteira de Motorista Internacional, pois alguns países exigem esse documento. Sobre essa exigência também pode ser confirmada no consulado do país a ser visitado, onde também pode-se obter informações sobre a legislação de trânsito local. A melhor forma de realizar pagamentos em viagens nacionais e internacionais é o cartão de crédito. Por ter grande aceitação e possibilitar o cancelamento em caso de roubo ou extravio, é mais seguro do que levar dinheiro vivo. A advogada Maria Inês Dolci alerta, porém, que se leve sempre uma quantia mínima de dinheiro. Os cheques de viagem (traveller's checks) também são uma boa opção. Em caso de roubo ou extravio, eles podem ser cancelados e o viajante tem o dinheiro reposto. O Procon orienta, porém, que, antes de comprar o cheque de viagem, o consumidor pesquise a cotação e se informe sobre os valores que podem ou devem ser levados. Além disso, só se deve comprar cheques de operadoras oficiais de câmbio. Alugar um automóvel pode ser uma boa saída para quem viaja por conta própria, uma vez que não terá disponível transporte para conhecer o lugar, como ocorre quando a viagem é feita por meio de pacote turístico. É preciso verificar com antecedência, entretanto, as exigências para locação, utilização, devolução, prorrogação do uso do veículo e rescisão do contrato. Ao fazer a reserva, o consumidor deve informar à agência o modelo de carro que deseja e perguntar como é feita a cobrança (se pela diária ou pela quilometragem). Ao retirar o carro, deve-se examiná-lo cuidadosamente para verificar se ele se encontra em perfeitas condições. Ao alugar um veículo para ser utilizado em outro país, é interessante verificar se as diárias não poderão ser pagas antecipadamente, aqui no Brasil. O viajante deve ter sempre à mão o telefone da polícia e do serviço de atendimento ao consumidor da locadora e deve comunicar imediatamente a empresa caso o carro seja roubado, danificado ou apresente problemas, conforme orienta o Procon.
Tenha sempre boas ferramentas e mantenha-as limpas e conservadas · Nunca corra com uma ferramenta · Observe bem onde pisa · No percurso o acompanhante fica do lado oposto a ferramenta · Sempre que for cortar lenha, faça sobre banco seguro e firme ao chão, e afastado das demais pessoas. Nunca corte um pedaço de madeira apoiando-o no solo. · Verifique sempre se o cabo da ferramenta esta preso a cabeça. · Ao manejar um facão, ou outra ferramenta do gênero, certifique-se de não ter ninguém a uma distância mínima de segurança (± 3 m), nunca golpeie o alvo na direção de seu corpo ou de um companheiro. · Nunca deixe as ferramentas pelo chão, deixa-as sempre apoiadas em algum lugar visível. · Procure estar sempre calçado com sapatos ou botas de couro, para melhor segurança. · Quando estiver abrindo um caminho, olhe para trás de vez quando e certifique-se que o seu companheiro que vem logo atrás de você, está a uma distância segura. Avise sempre quando for usar o facão. · Em nenhuma hipótese durma próximo a um fogareiro, mesmo apagado. · Mantenha sempre os fogareiros limpos e em ordem · Jamais deixe qualquer fogareiro apagado dentro da barraca ou no local em que você estiver dormindo! Há perigo de vazamento, e acidente mortal. · Não coloque-o onde possa pegar chuva ou orvalho; coloque-o sempre em lugar firme e plano. · Nadar em locais desconhecidos somente depois de informar-se sobre os riscos e perigos com o pessoal da região. · Nunca nadar sozinho em um rio desconhecido · Possuir no local um cabo salva-vidas ao alcance dos guardas vidas, que devem ser pessoas preparadas para esta função. · Demilitar claramente a área de banho, que não deve ser muito extensa para permitir a rápida chegada do guarda vidas em caso de início de afogamento.
Você vale ouro! Turistas chamam mais atenção que outdoor, para diminuir a chance a chance de ser assaltado, tente não parecer um turista. Cuidado ao abrir o mapa na esquina, se precisar fazer, faça de maneira que ninguém perceba. Não deixe a bagagem aparecer no carro e não mostre sua carteira cheia de dinheiro. Coloque o endereço do hotel ou do consulado brasileiro em sua carteira. Seja discreto, separe o dinheiro em várias partes. Se apesar de todos os cuidados o inevitável acontecer, faça o boletim de ocorrência e comunique ao consulado, cancele cartões de crédito e cheques de viagem. Deixe sempre seu endereço por perto onde você perdeu os documentos. Caso não possua um endereço por perto deixe o endereço do consulado brasileiro.
Se a bagagem não foi encontrada ou o passageiro não concordar com o valor com o qual foi ressarcido, ele terá de procurar a Justiça. "Não adianta, porém, tentar reaver jóias e dinheiro, uma vez que isso deve ser levado na bagagem de mão", alerta Maria Inês Dolci, do Idec. De acordo com a advogada, deve-se procurar a Justiça quando já estiverem se passado mais de 30 dias da data em que foi feita a reclamação na empresa aérea. Luiz Antônio de Oliveira Mello, da Associação das Vítimas de Atraso Aéreo (Avaa), diz que, pelo fato de muitas vezes o problema envolver o direito aeronáutico internacional, é difícil encontrar advogados que tenham conhecimento sobre do assunto. Um dos caminhos é a própria Avaa. "Entre as pessoas que nos procuram, é feita uma triagem para saber se os casos são solúveis ou não. Eles são, então, encaminhados para advogados especializados." Mello salienta, porém, que o principal objetivo da Avaa é esclarecer os passageiros. "Queremos passar todas as informações referentes a viagens." A Avaa atende também pessoas que tiveram problemas com overbooking e cancelamento ou atraso de vôo, por exemplo. O telefone de contato da associação é o 259-9409. Maria Inês diz que os juízes já entendem que contrato de serviço aéreo é relação de consumo. Assim, pode-se também recorrer aos órgãos de defesa do consumidor, como o Procon e o Idec. Ela lembra que outra saída para reclamar indenizações e ressarcimentos com relação a bagagem extraviada é procurar os Juizados Especiais Cíveis, se o problema envolver pequenos valores. Isso porque só podem ser levados aos Juizados casos cujos valores reclamados não ultrapassem 40 salários mínimos. E, se o valor for menor do que 20 salários, não é necessário o acompanhamento de advogado.
Faça um seguro médico por prazos determinados. Optando por aqueles sem franquia, podendo pagar diretamente aos hospitais e médicos. Alguns cartões de crédito internacionais incluem assistência médica e seguro saúde.
Sempre que sua viagem tiver roupas caras é muito importante incluir o seguro de bagagem. A indenização gira em torno de 1 mil a 4 mil dólares por bagagem. Evite as malas muito chamativas e divida se possível sua bagagem em dois volumes. Quando houver o extravio procure a empresa aérea, preencha o registro de irregularidade de bagagem (RIB), descrever onde você vai estar próximas 72 horas e solicitar a ajuda para compra de roupas, valor este que será em torno de 50 a duzentos dólares. Se a companhia encontrar em até 72 horas ele tem a obrigação de leva-la até você. O ressarcimento das bagagens ocorrerá somente depois de trinta dias. Caso você não tenha feito o seguro as companhias aéreas pagam para vôo nacionais, cerca de 180 reais por mala. Nos internacionais, são 20 dólares por quilo e um máximo fixado um teto em 350 a 400 dólares. Caso você não concorde com o ressarcimento você pode recorrer ao Procon, que defende uma reparação "real" dos danos. Exemplo: o seu destino era uma cidade de inverno e você não tinha outra opção a não ser comprar roupas de frio, este valor deverá ser ressarcido.
Países que exigem o certificado internacional de vacinação contra febre amarelaQuem viaja para o exterior deve conferir se seu destino é alvo de doenças ou epidemias, principalmente de febre amarela. Em muitos casos, é preciso apresentar um comprovante de imunização e tomar precauções para entrar no país. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), mais de 120 países exigem o certificado internacional de vacinação contra febre amarela de pessoas que vieram de áreas infectadas pela doença, incluindo quem mora no Brasil. Os passageiros que estiverem entrando no país e passarem por regiões de risco também devem apresentar o certificado. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária, órgão do Ministério da Saúde, também recomenda a vacinação contra febre amarela a pessoas que circulam por zonas endêmicas brasileiras como: Acre, Amapá, Amazonas, Distrito Federal, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins. A vacina é gratuita, tem validade de dez anos e deve ser tomada pelo menos dez dias antes do embarque, tempo que leva para fazer efeito. O certificado internacional também é válido por dez anos, a partir de dez dias da primeira dose ou do dia da revacinação, e pode ser fornecido nos locais da aplicação, ou seja, postos do Ministério da Saúde ou agências da Vigilância Sanitária. Muitos aeroportos, portos e fronteiras têm postos de vacinação. Apenas de 2% a 5% das pessoas apresentam reações adversas, no período de 5 a 10 dias após a aplicação. Os efeitos mais comuns são dor de cabeça, dor muscular e febre baixa. A vacina não deve ser tomada por grávidas, crianças com menos de seis meses, pessoas alérgicas a proteína de ovo, portadoras de imunodeficiência, contaminadas pelo vírus HIV ou que estejam usando medicamentos quimioterápicos ou a base de corticosteróides. Neste caso, o viajante deve ter um documento com os motivos médicos para que não seja vacinado. Também é aconselhável que as pessoas se imunizem contra gripe quando forem viajar durante o inverno, principalmente para o hemisfério norte.
Informe-se com antecedência sobre a necessidade de visto para os países para onde vai viajar. Os pedidos de vistos devem ser feitos junto ao consulado do país para onde se vai viajar. A Associação Brasileira de Agencia de Viagem mantém convênios com os consulados de alguns paises para encaminhamento de pedidos de vistos. Maiores informações visite www.abav.com.br.
Sempre que a sua viagem for ter alguma conexão, tenha certeza de que o tempo entre desembarque e embarque seja no mínimo de uma hora e se possível duas ou três horas, jamais aceite um intervalo inferior a estes. A companhia aérea que emitiu o bilhete deve garantir a sua chegada ao destino final, mesmo que você embarque e desembarque em dois ou três aviões para chegar até lá. Enquanto você estiver aguardando a conexão em terra a companhia aérea tem a obrigação de providenciar: refeições, acomodações e todos os confortos para minimizar o transtorno.